HomeEstilos de Decoração

Decoração à prova de pets

Decoração à prova de pets
Like Tweet Pin it Share Share Email

Quem tem bicho em casa sabe como é: tem que praticar o desapego com certas coisas porque os animais dominam o espaço. É um tal de conter xixi no tapete, arranhão no sofá e outras coisas que os donos estão carecas de saber, mas preferem superar em nome do carinho que o seu pet dá.

Ter uma casa resistente a animais é o sonho de muitos e hoje o mercado vem se especializando para desenvolver produtos que facilitem a vida dos donos na conservação de móveis e tecidos. Por outro lado, os bichos precisam se divertir e ficar à vontade no ambiente e, hoje em dia, muitos projetos já nascem para dar aos animais de estimação o devido conforto, o que ajuda a reduzir o estresse deles e muda o foco da bagunça da casa para objetos feitos especialmente para eles.

E como funciona essa decoração à prova de pets? O primeiro ponto a se pensar são os materiais escolhidos para compor os ambientes. Os bichos podem ser educados, mas não controlam totalmente seus instintos, portanto é necessário escolher com cuidado mobílias e acessórios que não necessitem tantos cuidados e que resistam aos comportamentos. Estofados, por exemplo, são o alvo preferido dos felinos. Há sempre vários buraquinhos de unhas cravadas, isso porque eles têm a necessidade de se livrar das escamas mais antigas que formam sua unha.

Para manter sofás e poltronas a salvo, compre arranhadores e torne o objeto mais atrativo com erva do gato, que atrai o animal. Aposte também em tecidos mais fáceis de limpar e mais resistentes como couro, sarja, brim, lona, chenile. Algodão, seda e linho são muito mais fáceis de estragar, mas se você não abre mão desses tecidos, opte por uma capa. Dê também um tratamento impermeabilizante aos estofados para evitar danos de urina e passe com frequência o aspirador de pó para retirar bem os pelos. Os mesmos cuidados devem ser tomados com tapetes e cortinas. Deixe de lado modelos felpudos e de materiais que desfiem com facilidade ou opte por persianas, no caso das cortinas.

Pés de móveis, rodapés, portas são outras vítimas do radar animal. Para evitar arranhões, prefira pés cromados ou de madeira mais resistente, como ipê. Há também protetores de borracha específicos para os pés. Independente do material escolhido, lance mão de produtos repelentes, facilmente encontrados em pet shops. Eles possuem odor e sabor desagradável aos animais, com isso vão se educando para não se aproximar mais daquele móvel ou canto da casa.

Animais precisam de liberdade para circular pelos ambientes. Quanto mais preso, mais estressados ficam. Alguns cães não têm ideia do tamanho que possuem e é fácil encontrar objetos derrubados pela casa. O mesmo acontece com gatos, que transitam com facilidade por diversas alturas e podem derrubar os bibelôs. Se puder evitar peças que quebrem com facilidade, é melhor. Se não, além da paciência para adestrar os animais e repreender quando estiverem em local “proibido”, use alguns truques como fita adesiva dupla face para prender os objetos em prateleiras e mesas; não coloque prateleiras e fruteiras muito baixas, ao alcance dos animais; dê brinquedos próprios para que os bichos se distraiam e invista em áreas exclusivas para eles, como travessias para gatos, labirintos, um cantinho da área de serviço para ter a caminha e outras coisas que eles utilizam.

Cena Marley e Eu

Bichos sãos e salvos

A casa pode resistir a algumas mudanças para receber um animal, mas outros itens são indispensáveis para que eles estejam seguros. Telar janelas e colocar grades em muros, por exemplo, são pontos obrigatórios para quem cuida de gatos. Isso evita que os bichanos caiam de andares altos ou mesmo entrem em contato com outros animais que não estão vacinados, fora os perigos de pessoas mal intencionadas.

A curiosidade dos bichos pode levá-los a grandes apuros. Muitas espécies de plantas, por exemplo, são extremamente tóxicas a eles, causando diarréia, vômitos, alterações cárdio-respiratórias e motoras. Cachorros e gatos devem ficar longe de palmeiras sagus, azaleias, lilás, comigo-ninguém-pode, lírios, eucaliptos, begônias e outras espécies. Antes de ornamentar o ambiente ou o jardim, veja se a planta produz substâncias que afetem a saúde dos animais.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Comments (0)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *